terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Onde andarão hoje estas criancinhas? Em Pedome não estarão todos certamente. A grande maioria estará certamente em Lisboa, Paris e arredores, Virgínia, Maryland ou New Jersey. Todos passámos por aqui, por esta bela escola, pisámos o famoso lageado, fomos ao gestal atrás do recreio, tivemos uma bola rasgada pelo Celaré no frenesim de proteger a vinha do filho. Fomos alunos das Donas, Estrelita, Fernanda ou Graça ou até de um famoso professor Arnaldo. Aqui também fomos felizes e aqui aprendemos a ser homens. Homens e Mulheres que ajudaram outras terras a progredir. Assim é a história do interior.

20 comentários:

Mar&Rio disse...

Belo momento este. Não sei se as crianças serão apenas de Pedome, penso que não. Arrisco a dizer que na primeira fila estao a Ana Sena e o irmão Armando. As restantes não conheço nenhuma.

anas disse...

qual é a ana que eu não consigo ver.

Anónimo disse...

Também fiz a primária nesta escola. Atualmente a freguesia de Lebução terá apenas uma meia dúzia de crianças.

Mar&Rio disse...

Só agora acabo de saber que esta foto é de 1966. Assim, é certo que as crianças que julgava serem a Ana e o Armando, não o são. Não comheço criança nenhuma, apenas a adulta que é a D. Carmen.

paulo disse...

Mar&Rio, de onde foi que tiras-te a data desta foto??? penso que esta foto é muito posterior a essa data.

Mar&Rio disse...

O gestal atrás do recreio era parte integrante da escola. Recorriamos a ele não só para fazer vassouras com que aos sábados varriamos a sala de aulas como tambem supria a lacuna de não haver casa de banho. Foi num destes momentos que um lobo - o primeiro que vi na minha vida - passou por mim, perseguido por um caçador.

Mário disse...

Foi nesta escola que me formei com a 4ª classe, nela brinquei, chorei, corri joguei à bola, passei frio, também ia ao gestal, uma das vezes a jogar à bola descalçou-se-me um sóco e foi partir um vidro das janelas, resultado, um par de réguadas e comunicação aos meus pais, que não sei se levei mais, que saudades.

Mar&Rio disse...

Grandes recordações! Aproveito para saudar as minhas professoras, D. Graça e D. Fernanda, a elas o meu muito obrigado por tudo que me transmitiram, bem como a D. Estrelite, que Deus tenha. Foram tambem minhas professoras a D. Isabel e a D. Altair, de quem infelizmente nada sei, mas a quem, igualmente, endereço o meu apreço.

.com disse...

Nesta fotografia reconeco o filho do Belelao, o filho do taneta, o filho do joia, o presidente da camara de val pacos e mario do cantoneiro e o ze pito e a dona carma madeira.

Este vai dos estados unidos do ze pito

Provocador disse...

Esta escola ainda é do tempo em que os professores tabalhavam. E há aqui muitas outras fotos reveladoras disso mesmo. Os cantoneiros cantonavam, os agricultores agricultavam, os guardas guardavam, agora não guardam nada, há cada vez mais assaltos, os soldados soldavam, agora já não são precisos, é tudo em aluminio, acabem com eles. As professoras, claro, professoravam, agora protestam. Já nem as criadas, criam. Como as coisas mudam. Sra. M.L.R. não se deixe intimidar, mão de ferro é o que é preciso. Já agora uma sugestão. Aplique-lhes o simplex do seu amigo Sócrates. Simplifique a vida aos pais, coitados. Também precisam. Ora, pondo as escolas a "funcionar 24 horas por dia, sete dias por semana, e há professores para isso, é só uma questão de os organizar por turnos, libertavam os ditos pais para outras terefas de que também necessitam como ir ao cinema, jantar fora quebrar rotinas indo uma vez ou outra até um motel, etc.
Está bem visto sim senhor. Mas há outros que não se podem queixar: Olhai os GNRs, reforma aos 50. Muito bem, tiveram grande desgaste, lutaram pela pátria diariamente expostos a perigos constantes, nem que nunca tivessem deixado a cozinha do refeitório ou do bar. Claro, podia explodir uma botija ou incendiar o exaustor. E as secretárias pessoais que chegam antes do patrão, mas logo que ele sai já não se encontram. Sim senhor!

Anónimo disse...

meu caro provocador. É uma pena só trabalhares tu neste planeta. O que farão os advogados neste país, concerteza enganam, chulam e procuram não fazer nenhum.

tretas disse...

Meus caros amigos

Mas o porquê de tanta hostilidade?
Naõ é preciso reagir assim aos comentários do provocador. Como podem ver ele até deve ser uma pessoa muito ocupada, tem conhecimmento de tudo o que se passa em várias profissões. Não é qualquer um que tem tempo para às 16:49, horário de trabalho, mesmo para um agricultor, de enviar um tão extenso comentário, se é que pode ser apelidado de comentário. Talvez será mais um texto insultoso, que possivelmente pretende atingir vários comentadores deste blog.
Mas o que poderá ser feito nestes casos? Eu sugiro ignorar provocador, que pelo que percebi é advogado. Só não percebo como é que com tanta podridão no nosso país este advogado não tem todo o seu tempo ocupado.

variações disse...

Qual hostilidade? Tem toda a razão sr. provocador. Tenho dois filhos e bem gostava que passassem o dia todo na escola. Sempre poupava un tostões na empregada que lá tenho e no infantário.

turra disse...

E eu que ando na tropa quero a reforma já. Afinal, que me recorde, até já dei dois tiros para matar uma lebre no Alentejo.
Soldados uni-vos e marchai para Lisboa, com bandeiras e tudo.

risadas disse...

Sr Provedor solicita-se a sua presença

O PROVEDOR disse...

Srs. Comentadores tenham calma. Este Blog tem um objectivo. É certo que estamos numa democracia, onde felizmente há liberdade de expressão. Portanto, nada de exageros. Sr. provocador, provoque à vontade mas dentro do razoável. Então não sabe que os professores não são amas, tão pouco empregadas domésticas. Modere-se. Tretas, não precisa de exagerar. Presumo que não gostou, mas também achar insultuoso, não me parece. Foi sem dúvida uma brincadeira para animar o blog. Eu até tenho a certeza que o provocador tem o maior respeito pelos professores. Aliás ele também já foi aluno. Paz.

Paula disse...

Concordo plenamente com o Provedor

O provocador só estava a tentar animar um pouco as coisas, é aquilo que se pode chamar um brincalhão...

Armando o blog está fantástico, todas as vezes que inseres uma nova fotografia é motivo de alegria.o Paulo com muito carinho descreve quem está nas fotos e recorda com os irmãos e com a mãe velhas histórias que de outra forma não seriam comentadas. E eu claro fico a saber um pouco mais das histórias e das pessoas que outrora viviam em Pedome.

anes disse...

sr. provedor eu até aposto que o seu rabinho e o dos seus filhos já foram limpos por algumas professoras e qui sá dora avante até vestirão os pijaminhas aos seus netos para os papas poderem ir...

Anónimo disse...

Não quero alimentar a polémica dos prof. Quero, sim, identificar três retratadas na imagem:
A filha do Franklin, a Clara,e as filhas do Mário Bléca. Também identifico claramente a escola, escola da minha saudade, que deu lugar a um mamarracho de tijolo e cimento. Tudo em nome do progresso!

Anónimo disse...

Embora não reconhecendo a maioria das crianças retratadas, posso afirmar que formam um lindo quadro!
É um exagero dizer que a freguesia de Lebução, actualmente, tem meia dúzia de alunos. É certo que a população escolar diminuiu consideravelmente e todos sabemos porquê, mas daí a ter meia dúzia de crianças, vai um abismo.
Eu também frequentei essa escola e que gratas recordações guardo desses tempos!
Como diria o outro «fui muito feliz nessa escola».