sexta-feira, 19 de maio de 2017

Termos típicos de Pedome




Cá está a lista que deu origem a tudo.

A propósito de um novo termos, "Aspada", aqui fica de novo a lista de termos típicos de Pedome, atualizada.
Sintam-se à vontade de sugerir novos, "velhos" termos.

Lista de termos
Abada - Regaço cheio, dádiva com o objectivo de conseguir proveitos, grande vitória;
Abêbora - Figo grande
Abéspora - Vespa
Açoga – Tira de couro que prende o jugo ao pinalho
Afoutar - Gritar
Aguilhada – Pau para domar animais
Agulheta - Caruma de pinheiro
Alacraio - Escorpião
Alarapiar - Avivar chamas, incendiar-se
Argana - Espinha 
Arrecaxada - De pernas abertas
Arrefuxir – Puxar as mangas para trás
Arreganhado - Aberto,Escancarado
Arroxo – Pau torto para esticar cordas, Punição
Aspada - Cheia de pressa
Astrever-se - Ser capaz
Aviaca – Aiveca, mulher desengonçada
Azagal – Ajudante de pastor
Baixo - Armazém no piso térreo da casa
Balancim - Artefacto para lavrar com animal isolado
Balho – Gordura da barriga
Baraça – Cordel para fazer andar o pião
Bilharda- jogo com um pau
Barleiro – Cesto de vime
Bebes - Cu
Berrão - Barrasco
Bilhó – Castanha assada, descascada.
Biqueiro - Pessoa esquisita quanto à comida
Blouro - Preguiçoso
Bô - Interjeição de espanto
Bota – Anda, vem, atira
Brochas – Metal para protecção dos socos
Bucheira – linguiça de carnes menos nobres
Burgatas - Frutos pequenos
Cabaça - Abóbora
Cabaçote – Pequena abóbora
Cachouço - Brincadeira
Canca - Idoso
Cancelas – Vedação para os rebanhos
Cangaço - Uvas depois de esmagadas
Canhoto – Pau grosso
Caniço – Rede para secar castanhas na cozinha
Carabunha - Graínha, caroço pequeno
Carambina – Gelo formado pela geada
Carambelo – Frio extremo
Cardiela –Cogumelo amarelo, bebedeira
Carranha – Macacos do nariz
Carramouço – Monte de coisas
Castanheirol - Batateiro
Ceitoura - Foice Cerrar - Fechar
Chamorro – Doença de coelho
Cobrante – Doença de ossos
Côdeo – Pedaço de pão
Cortelhas - Entre pernas
Chabelão - Cavilha usado no pinalho dos carros de bois
Chaboto - Cigano
Chedas - os dois paus de madeira que seguram o eixo, a que também chamavam, couquilhas
Chedeiro - eixo de madeira do carro de bois
Choquelateira - Cafeteira
Chouriça de verde – Chouriça de sangue
Chupa - Chaminé
Cibinho - Bocadinho
Cisqueira - Diarreia
Cito-cita – Fiscal camarário de obras
Cocada - Pancada 
Concharra - Colher de lançar a sopa
Cornizó - Fungo do centeio, diz-se que usado para fabicar armamento
Couracha - Pele de porco
Crocha - Primeiro pedaço do pão
Cueiro - Fralda
Derrega – Rego para escorrer água de terrenos
Embarrar - Tocar, raspar
Embelga - Delimitação de terreno em corredores para a sementeira
Embude – Funil muito grande
Engaço - Ancinho
Engaranhado - Com frio
Engrunhar - Encolher
Erbanço – Grão-de-bico
Esbarar - Escorregar
Escanar – Dormir, Desfolhar milho
Escaravanar - Saraivar, Chover granizo
Esfoura - Diarreia
Esgoda - Canseira, trabalhos em demasia
Espalhadoura - Instrumento para espalhar estrume
Espanzurrada - Relaxada
Esparger - Espalhar
Estadulhos – paus de madeira para estabilizarem a carga
Estardalho – Pessoa sem nexo
Estrafogueiro – Objecto para pousar lenha na lareira
Estrigana - Resíduos de ervas secas que causam comichão 
Esturgido - refogado
Feiloa - Gás intestinal
Ferreiras – jogo à procura das pessoas
Fingir – Dividir a massa em pão para cozer no forno
Fuga – Vigas horizontais onde assentam os lareiros do fumeiro
Fulcro - Media do polegar ao indicador
Gabela - Conjunto de objectos que se agarram e transpotam com os braços
Gadanha - Foice grande, pessoa qeu apanha tudo o que vê
Galheiro – Pau para sustentar vegetais na horta
Gamela - Pia dos porcos
Garabano – Utensílio para tirar água do poço
Garavelho – Fecho de porta em madeira
Giga – Cesto de vime largo
Grolo - Que não chegou ao fim da gestação
Guedelhudo – Que tem o cabelo comprido
Guisote – Depreciativo de guisado
Laços - Corda comprida
Ladrais – tábuas que ladeiam os estadulhos
Lambão – Pessoa desleixada, mandicante
Lareiro – Varas onde se pendura o fumeiro, pau de varrer o forno
Laronas -
Larouga – Cerejas verdes
Lazarado - Cheio de fome
Leiranco – rato grande
Livreta - Agenda
Loa – Conversa fiada
Lumiacos - Tufos verdes criados em água estagnada
Quilé - Coisa pouca. Mais usado na negativa "Nem quilé - Rigorosamente nada"
Malata – Geada
Mandicante - Fulano
Marafona - Mulher mal vestida
Mijacão –Todos os cogumelos não comestíveis
Mocanca – Produtos vários
Mochana - Faúlha
Moinante – Bom vivant
Molida – Artefacto para o pescoço dos animais
Môcas - Ranho
Moreia – Grande monte de molhos de palha na eira
Morneiro – Monte de molhos de palha
Mulo, estar de - De trombas, amuado
Niscaros - cogumelos
Palaio -Chouriço de pão
Palhitos - Fósforos
Parada – Local de cobrição de animais
Passota - Sêca, encarquilhada
Peldrecha – Pele da barriga do porco
Pinalho – extremidade do carro
Pincha Carneira - Cambalhota
Pocho - Cachorro
Pondão – Pessoa lenta
Portelo – Entrada de propriedade
Poula – Terreno árido
Queculo - Cheio até ao limite
Responso - Reza
Rabeira - Restos de centeio depois de peneirado
Ranheira - Coceira
Rijar - Fritar
Roca – Roco, Frade
Roda – Conjunto de molhos de malha em espiral
Rodilha – Pano de cozinha
Rodilheira – Pessoa que cria mal estar
Ronhosa - Pessoa que está sempre a resmungar 
Saborreiro – Neblina quente de verão, pão mal cozido
Serranço - Fundo das costas
Sibo - Pedaço
Sinceno - Nevoeiro
Sombreiro –Guarda-chuva
Sorça – Vinha d’alhos
Tãlha – Recipiente de barro
Tantinho - Um pedacinho
Tárataro – Insecticida para frutos
Tartaranho - Milhafre
Tempre – Tripé para fritar
Termoncela – Artefacto para lavrar
Tesão - Ferramenta para fixar boca dos tonéis
Tiés -Membrana
Timoeiro -
Tissão - Brasa grande
Toutiço - Inchaço
Trocho – Estrutura grossa da couve
Upado - Inchado
Verdasca – Vara fina e verde
Vergalheira – Parte do porco
Xamorro – Doença de coelhos
Xiba - Cabra
Xoino - Amante
Zarcão – Pessoa muito feia
Zorra – Pião grande

quarta-feira, 10 de maio de 2017

D. António Marto - A grandiosidade da vizinhança


É bem verdade que "santos da casa não fazem milagres".
Aqui mesmo ao lado, em Tronco, nasceu um dos maiores vultos e pensadores portugueses da atualidade.
Um homem que pelo seu humanismo fascina, o que, aliado ao seu saber, o torna um ser humano ainda maior.
Sempre nutri uma especial admiração pela sua capacidade de raciocínio e ainda mais pela forma brilhante e simples como sempre transmite a sua opinião.
Um grande homem, mesmo aqui ao lado, um amigo.

Para quem não o conhece, esta entrevista é elucidativa.

Deixo aqui um excerto:


http://observador.pt/especiais/d-antonio-marto-representava-melhor-o-diabo-do-que-o-anjo-ironia-do-destino/

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Iguarias da Quaresma - Tempo de folares






Em tempos de contenção alimentar, sujeitos aos rigores quaresmal, sempre se abre uma janela para a volúpia: É tempo de folares!

quarta-feira, 1 de março de 2017

O canto do fundo


Dos cantos e recantos de Pedome, onde já apenas a luz vagueia, juntam-se num recorte os acrescentos do tempo.
Falta "apenas" vida.

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Os vizinhos do lado


Uma espreitadela para os vizinhos do lado.
Uns melhores outros piores, mas sem eles não era a mesma coisa.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017