quarta-feira, 8 de novembro de 2017


Cá está a lista que deu origem a tudo.

A propósito de um novo termo, "Arrouçar", aqui fica de novo a lista de termos típicos de Pedome, atualizada.
Sintam-se à vontade de sugerir novos, "velhos" termos.

Lista de termos
Abada - Regaço cheio, dádiva com o objectivo de conseguir proveitos, grande vitória;
Abêbora - Figo grande
Abéspora - Vespa
Açoga – Tira de couro que prende o jugo ao pinalho
Afoutar - Gritar
Aguilhada – Pau para domar animais
Agulheta - Caruma de pinheiro
Alacraio - Escorpião
Alarapiar - Avivar chamas, incendiar-se
Argana - Espinha 
Arrecaxada - De pernas abertas
Arrefuxir – Puxar as mangas para trás
Arreganhado - Aberto,Escancarado
Arrouçar - Manobrar
Arroxo – Pau torto para esticar cordas, Punição
Aspada - Cheia de pressa
Astrever-se - Ser capaz
Aviaca – Aiveca, mulher desengonçada
Azagal – Ajudante de pastor
Baixo - Armazém no piso térreo da casa
Balancim - Artefacto para lavrar com animal isolado
Balho – Gordura da barriga
Baraça – Cordel para fazer andar o pião
Bilharda- jogo com um pau
Barleiro – Cesto de vime
Bebes - Cu
Berrão - Barrasco
Bilhó – Castanha assada, descascada.
Biqueiro - Pessoa esquisita quanto à comida
Blouro - Preguiçoso
Bô - Interjeição de espanto
Bota – Anda, vem, atira
Brochas – Metal para protecção dos socos
Bucheira – linguiça de carnes menos nobres
Burgatas - Frutos pequenos
Cabaça - Abóbora
Cabaçote – Pequena abóbora
Cachouço - Brincadeira
Canca - Idoso
Cancelas – Vedação para os rebanhos
Cangaço - Uvas depois de esmagadas
Canhoto – Pau grosso
Caniço – Rede para secar castanhas na cozinha
Carabunha - Graínha, caroço pequeno
Carambina – Gelo formado pela geada
Carambelo – Frio extremo
Cardiela –Cogumelo amarelo, bebedeira
Carranha – Macacos do nariz
Carramouço – Monte de coisas
Castanheirol - Batateiro
Ceitoura - Foice Cerrar - Fechar
Chamorro – Doença de coelho
Cobrante – Doença de ossos
Côdeo – Pedaço de pão
Cortelhas - Entre pernas
Chabelão - Cavilha usado no pinalho dos carros de bois
Chaboto - Cigano
Chedas - os dois paus de madeira que seguram o eixo, a que também chamavam, couquilhas
Chedeiro - eixo de madeira do carro de bois
Choquelateira - Cafeteira
Chouriça de verde – Chouriça de sangue
Chupa - Chaminé
Cibinho - Bocadinho
Cisqueira - Diarreia
Cito-cita – Fiscal camarário de obras
Cocada - Pancada 
Concharra - Colher de lançar a sopa
Cornizó - Fungo do centeio, diz-se que usado para fabicar armamento
Couracha - Pele de porco
Crocha - Primeiro pedaço do pão
Cueiro - Fralda
Derrega – Rego para escorrer água de terrenos
Embarrar - Tocar, raspar
Embelga - Delimitação de terreno em corredores para a sementeira
Embude – Funil muito grande
Engaço - Ancinho
Engaranhado - Com frio
Engrunhar - Encolher
Erbanço – Grão-de-bico
Esbarar - Escorregar
Escanar – Dormir, Desfolhar milho
Escaravanar - Saraivar, Chover granizo
Esfoura - Diarreia
Esgoda - Canseira, trabalhos em demasia
Espalhadoura - Instrumento para espalhar estrume
Espanzurrada - Relaxada
Esparger - Espalhar
Estadulhos – paus de madeira para estabilizarem a carga
Estardalho – Pessoa sem nexo
Estrafogueiro – Objecto para pousar lenha na lareira
Estrigana - Resíduos de ervas secas que causam comichão 
Esturgido - refogado
Feiloa - Gás intestinal
Ferreiras – jogo à procura das pessoas
Fingir – Dividir a massa em pão para cozer no forno
Fuga – Vigas horizontais onde assentam os lareiros do fumeiro
Fulcro - Media do polegar ao indicador
Gabela - Conjunto de objectos que se agarram e transpotam com os braços
Gadanha - Foice grande, pessoa qeu apanha tudo o que vê
Galheiro – Pau para sustentar vegetais na horta
Gamela - Pia dos porcos
Garabano – Utensílio para tirar água do poço
Garavelho – Fecho de porta em madeira
Giga – Cesto de vime largo
Grolo - Que não chegou ao fim da gestação
Guedelhudo – Que tem o cabelo comprido
Guisote – Depreciativo de guisado
Laços - Corda comprida
Ladrais – tábuas que ladeiam os estadulhos
Lambão – Pessoa desleixada, mandicante
Lareiro – Varas onde se pendura o fumeiro, pau de varrer o forno
Laronas -
Larouga – Cerejas verdes
Lazarado - Cheio de fome
Leiranco – rato grande
Livreta - Agenda
Loa – Conversa fiada
Lumiacos - Tufos verdes criados em água estagnada
Quilé - Coisa pouca. Mais usado na negativa "Nem quilé - Rigorosamente nada"
Malata – Geada
Mandicante - Fulano
Marafona - Mulher mal vestida
Mijacão –Todos os cogumelos não comestíveis
Mocanca – Produtos vários
Mochana - Faúlha
Moinante – Bom vivant
Molida – Artefacto para o pescoço dos animais
Môcas - Ranho
Moreia – Grande monte de molhos de palha na eira
Morneiro – Monte de molhos de palha
Mulo, estar de - De trombas, amuado
Niscaros - cogumelos
Palaio -Chouriço de pão
Palhitos - Fósforos
Parada – Local de cobrição de animais
Passota - Sêca, encarquilhada
Peldrecha – Pele da barriga do porco
Pinalho – extremidade do carro
Pincha Carneira - Cambalhota
Pocho - Cachorro
Pondão – Pessoa lenta
Portelo – Entrada de propriedade
Poula – Terreno árido
Queculo - Cheio até ao limite
Responso - Reza
Rabeira - Restos de centeio depois de peneirado
Ranheira - Coceira
Rijar - Fritar
Roca – Roco, Frade
Roda – Conjunto de molhos de malha em espiral
Rodilha – Pano de cozinha
Rodilheira – Pessoa que cria mal estar
Ronhosa - Pessoa que está sempre a resmungar 
Saborreiro – Neblina quente de verão, pão mal cozido
Serranço - Fundo das costas
Sibo - Pedaço
Sinceno - Nevoeiro
Sombreiro –Guarda-chuva
Sorça – Vinha d’alhos
Tãlha – Recipiente de barro
Tantinho - Um pedacinho
Tárataro – Insecticida para frutos
Tartaranho - Milhafre
Tempre – Tripé para fritar
Termoncela – Artefacto para lavrar
Tesão - Ferramenta para fixar boca dos tonéis
Tiés -Membrana
Timoeiro -
Tissão - Brasa grande
Toutiço - Inchaço
Trocho – Estrutura grossa da couve
Upado - Inchado
Verdasca – Vara fina e verde
Vergalheira – Parte do porco
Xamorro – Doença de coelhos
Xiba - Cabra
Xoino - Amante
Zarcão – Pessoa muito feia
Zorra – Pião grande

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

O grupo da malhada


Na altura de publicação desta foto gerou-se aqui alguma interacção mas não foram identificados os retratados. Caso queiram fazer, a memória coletiva dos pedomenses agradece.
A cena para localizar-se na eira do fundo da quinta e corresponder a um dia de malhada. O ano deverá posicionar-se no início da década de 70.

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Trás da Eira


E, depois de tantos anos, descubro que a rua onde eu nasci se chama "Trás da Eira".
As coisas que ainda conseguimos aprender.
Claramente, a rua mais bonita de Pedome!

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Mata-bicho da vindima


Dê-se-lhe a volta que quiser, não há vindima sem mata-bicho, nem pataniscas (iscas) de bacalhau como as que aí se comem.
Não será certamente do bacalhau que se tornou um produto industrial e tem o mesmo sabor todo o ano.
Será talvez o momento, a envolvência, a vontade, será a própria vindima e tudo o que a rodeia.
Seja o que for, não há mata-bicho como o da vindima!

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Quentes



Extemporaneamente, como tudo este ano, chegaram as primeiras castanhas.
Pedome é assim!

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

A segada

Mais uma vez, teve lugar a recriação da segada em Pedome que, à semelhança de anos anteriores, teve tanto de recriação como de recreação.
Debaixo de um sol tórrido, como convém, teve de tudo esta segada, até um são convívio multicultural.
Para o ano, se calhar, há mais.