quarta-feira, 14 de janeiro de 2009


A arte de fazer bom pão ainda não morreu em Pedome. Este que aqui se pode ver, acompanhou um apetitoso fumeiro. Regado com um belo tinto, claro está.

16 comentários:

L&A disse...

Que bom ver isto no blog!
A tradição é para manter. Que nunca falte farinha centeia para amassar, lenha para aquecer o forno, nem fumeiro e vinho para acompanhar...

Mar&Rio disse...

Diga-se em abono da verdade que esta fornada é a segunda tentativa. A primeira, vá lá saber-se porquê...ficou imprópria para a fotografia. Mesmo assim, não deixou de ser comida, já que a qualidade do fumeiro e da pinga superaram algumas deficiencias...do forno.

Risadas disse...

Quanto à priemira fornada nao sei nao, mas a segunda está com optimo aspecto~e diga-se de passagem...estavam muito bons...parabéns às cozinheiras

Ti Luis disse...

Quais cozinheiras!! Fica a saber que quem faz o pão não são cozinheiras, são PADEIRAS. Ó santa ignorância!!!

risadas disse...

ti Luis
não creio que as senhoras que confeccionaram estes pães fossem padeiras e além disso o pão é cozido...cozinheiras...

Ti Luis disse...

Pois fica sabendo, Risadas, que Padeira vem de "pão" cuja origem latina é "pannis". Quem fazia o pão era "pannadeira". Ao passar para português, caíram os"nn+a" (palatilização - se não estou enganado) e ficou PADEIRA.

sabiel disse...

Ó Tio Luis, não é nada disso. Quando cai uma letra no meio é uma sincope. Ai o português

Diácono Remédios disse...

Ó meuezamigos. Ó meuzamigos, tenho de intervir. Não me vou enfurecer porque sois todos de uma terrinha onde judas perdeu as botas, que posteriormente o descalça a bota as encontrou e até hoje ainda se nao viu livre delas. Então, começas-te tão bem, com uma foto de pao divinal e estais a descambar. Padeira, Pao, cuzinheira, cuzinha. Começam a cair letras e o que fica, hã, o que fica? Se cai "Zinha", se cai "zinheira"? E mais. Padaria. onde quereis chegar. Ides dizer que as há grandes, pequenas, é? Que aí se fazem moletes, cacetes, estes também grandes ou pequenos. é isso? Ó meuzamigos, deixai-vos de arrezoados. Com a lingua não se brinca, é traiçoeira. É que depois dizeis que é lingua disto daquilo, que se come assim e assada, que dá para fazer...e lá meteis o peixe que não faz mal a ninguem.É isso que quereiZé?
Parai, pois que seja sincope ou apócope que não vem mal ao mundo. Sabeis que mais, falai do que sabeis, das couves e das batatas, das chouriças(e aqui não vos alongueis). Dos chouriços não faleis, não val a pena, ninguém os conhece e podem pensar que é outra coisa. Esse Xoino, Ti luis e Risadas, não vos podem ensinar muito. Comei o pãozinho e que vos saiba sem cuidar de saber se é broa ou cacete.
Por aqui me fico mas intervirei sempre que necessário. Terrinha de boa gente.

Ti Luis disse...

Estás a ver Risadas, no que te foste meter. O Diácono tem razão. Isto de partir do pão para entrar numa linguagem sexual é no que dá. Porque não te limitas a fazer o pão, agora que já aprendeste e deixas os comentários para quem sabe. É que agora, além do Diácono temos também o Provedor à perna.
Saudações paniculares.

Provocador disse...

Ó Diácono, já que estás cheio de moralidades diz-me lá qual é o teu feminino?

Diácono Remédios disse...

Ó meuzamigoze, tenho de intervir outra veze. Já só faltava um provocadore. Então quereze ser como aquele poeta, tocador de concertina de Vila Praia de Ancora?
Também quereze dizer ordinaricezes? Tem tento na mão e juízo na cabeça. És um inculto ignorante. Não sabezes que há Diaconas porque a igreja não ordena mulhereses, e com razão, para evitar esseses trocadilhoses

Risadas disse...

Ti Luís

Aí é que está...quem lhe disse a si que eu sei fazer pão? deve-me estar a confundir com outra pessoa.

Ti Luis disse...

Claro que ainda não sabes, digamos que ainda te falta um pouco, mas com o tempo chegas lá. Não sejas modesta rapariga, lá porque queimas-te uma fornada não quer dizer que tenhas de desistir. Força, tenta mais vezes. Eu até sei que a segunda já saiu comestivel.

risadas disse...

Ti Luís

Não sei quem é...mas garanto-lhe que nunca comeu nem há-de comer pão feito por mim.
O máximo que poderei fazer, se estiver de acordo claro, é agendar-mos um encontro e passo ali na padaria do chiquinho para comprar uma carcaças fresquinhas para o Ti Luís comer. Garanto-lhe que n~~ao lhe darei pão queimado...

Ti Luis disse...

Pois assim seja, Risadas. Nunca me furto a um encontro. Vamos a ele, leva então o pão do chiquinho que eu levo uma linguiça das boas, de Pedome. Não pode é demorar muito se não as linguiças vão-se e lá terei de ir ao tio Belmiro comprar uma.

risadas disse...

Ti Luis

Então teremos de marcar o dito encontro...presumo que, ao contrário de mim, o Ti Luís está em Pedome, ou perto pelo menos. Quando me dirigir ao norte transmontano terei todo o gosto em levar o pão...e assim teremos tempo para discutir a origem das palavras pão, padeira e linguiça.