segunda-feira, 29 de junho de 2009

Esta casa, para todos nós a do Sr. Armando, é um dos exemplos das novas casas construídas após o 25 de Abril de 74. Com um traço muito particular, quer se goste ou não, é um marco pela diferença. À sua proprietária deixo aqui os meus cumprimentos.

domingo, 28 de junho de 2009


Não só pela curiosidade suscitada mas também porque merece, aqui fica a foto de mais um dos moínhos de Pedome. Este é o famosíssimo moínho do Almeida. Localizado em Lamadeiras faz parte do nosso imaginário. Apesar do estado ruinoso em que se encontra, continua a ter um valor enorme, pelo menos sentimental.
Fica a promessa de que aqui serão apresentados todos os outros moínhos de Pedome, um a um.
Nota: Pode ver esta foto em tamanho maior em http://www.flickr.com/photos/15477125@N07/2865844994/sizes/l/

sábado, 27 de junho de 2009


Nham...Excelente fornada. É à saída do forno, ainda quente, com a manteiga a derreter-se, escorrega pela goela acompanhado por um branco bem fresquinho. Assim se fazem os infelizmente poucos momentos de lazer em Pedome. Claro que depois sempre aparece companhia, sempre se desfiam as lembranças e sempre se bebe mais um copo. À saúde.

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Esta terão que ser os mais velhos a decifrar. Eu só consigo perceber o local. Ao fundo está a casa do Tio Bajalé e o palheiro da Tia Imperatriz (Emparatriz para os locais).
Meus caros. Não é minha intenção neste blog, moderar comentários, no entanto, dado os últimos acontecimentos, vejo-me obrigado a intervir.
Os objectivos deste blog, foram definidos ainda antes de ele existir e claramente aqui publicados (ainda bem), para que não restassem dúvidas. Estes objectivos, o primeiro de preservar o dialecto local e segundo, juntar as pessoas de Pedome à volta deste espaço, ainda se mantêm.
No entanto, não é suposto ser sujeito à censura. Veremos se assim podemos continuar.
Um abraço a todos e que Pedome seja sempre mais importante do que desavenças existentes.

terça-feira, 23 de junho de 2009

Depois das batatas, o vinho. O paradigma dos transmontanos em geral e dos de Pedome em particular. Passar um dia sem comer batatas, de preferência cozidas e com azeite, para um transmontano, mesmo os da diáspora, é um tormento, passar dois é um suplício. Mais de dois já é perder as raízes. O vinho, sobre esse nem vale a pena dissertar. Fica apenas a famosa frase do Tio Zé das Bouças: "É a única coisa que se chega a mim."
Sábias palavras de um dos que nos marcaram.

sábado, 20 de junho de 2009

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Esta foto tráz-me à memória o tempo dos retornados em Pedome. Daquela enorme quantidade de gente que veio trazer um movimento anormal a Pedome e alegria, muita alegria. Os da primeira fila, os da minha geração, que ligações, qua amizades fortes se criaram e se mantêm ainda hoje. Depois, queria sublinhar a lealdade dos mais próximos seguidores deste blog, sinónimo do amor que nutrem pela nossa terra e pelos nossos costumes. Mesmo antes do post, já as personagens estavam identificadas. É hora de agradecer, desde o seguidor dos pseudónimos, famoso pela excelência da escrita e pelo menos outro tanto pela capacidade de dar nomes aos pseudónimos, ao Guilherme a milhares de milhas de distância, ao Mário Santos, ao Álvaro, sem ele este espaço teria seguramente muito menos interesse, a minha professora Graça que deu um novo impulso à lista de termos de Pedome, o Paulo, foi ele que me cedeu esta maravilhosa foto, Teresa Sena, que aparece de vez em quando mas sempre com informações úteis e todos, todos os outros, uns mais anónimos que outros mas que pelo mundo têm um mesmo elo de ligação. PEDOME.

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Tantas vezes referido neste blog e certamente na memória de todos, fica aqui uma bela foto de um dos heróis locais acompanhado dos pais.
Onde estejas, a justa homenagem ao Manuel Teixeira (Xoino).

domingo, 14 de junho de 2009


Este forno tem história. Não pela idade porque é ainda bastante recente. Nem por ser alguma obra de arte, pois que saiu das mãos de um aprendiz. É um forno com história pelas iguarias que por lá passaram. Das mãos de cozinheiros ilustres, forneiros, diria eu, por ali passaram alguns dos mais maravilhosos assados que Pedome viu fazer. Como é que eu sei? Não sei, presumo, pois que só os vi, não os provei. Mentira, provei folares e estavam óptimos. Saúde aos forneiros e vida longa.

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Confesso que nem o local consigo identificar. Será que ao fundo do lado direito é a fraga da ventosa e o castanheiro é o da Nia do Areal? Não me lembro da placa de Pedome ter alguma vez ali estado. As pessoas, alguém as saberá identificar...

segunda-feira, 8 de junho de 2009


A excelência desta açucada fica aqui como prova de harmonia e de que a arte de bem lavrar persiste em existir em Pedome.

Contrasta de forma inequívoca com os psedónimos usados por alguns dos comentadores deste blog. Pseudónimos sim, mas esforcem-se um pouquinho mais.

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Nesta casa de gente muito nobre, chovia por vezes na lua nova e na velha. Vocês sabem do que eu estou a falar...

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Ontem falava do nascimento de um descendente de Pedome. Hoje fica aqui um natural, mas nascido há já alguns anos. Se for rapaz, é o Joaquim, se for rapariga poderão ser várias. Lindas, todas lindas. Aliás, a mãe, como a foto comprova, também era. E com um coração imenso. Um abraço também ao pai.

Aproveito para referir que os comentários são todos bem vindos e muito apreciados, desde os anónimos, aos pseudónimos e aos assumidos.
Compreendo que haja anónimos e pseudónimos, pedia no entanto que quando se trata de identificar pessoas, deixassem a vossa identidade.

Para além disso, um abraço do tamanho do mundo e com a intensidade de Pedome. Aconselho a rever posts antigos onde há comentários novos.

quarta-feira, 3 de junho de 2009


Pedome tem mais um descendente. Nasceu o Gonçalo, o tetraneto do Zé das Bouças, bisneto da Maximina, neto da Rita e filho do Zé e da Andreia. Parabéns ao Gonçalo e aos pais.

terça-feira, 2 de junho de 2009


Queria recordar que o primeiro objectivo deste blog foi preservar o típico vocabulário de Pedome. Ponho outra vez na ordem do dia a lista inicial. Todas as sugestões e comentários são bem vindos. Vamos enriquecer o já rico património cultural de Pedome
Cá está a lista que deu origem a tudo.
Sintam-se à vontade de sugerir novos, "velhos" termos.
Lista de termos

Abada - Regaço cheio (dádiva com o objectivo de conseguir proveitos);
Abascado- apalermado
Abêbora - Figo grande
Abéspora - Vespa
Aboucar - Fazer muito barulho
Acancelar - Meter o gado em cancelas, em terreno para estrumar
Acarrar - Transportar
Acarrijar- transportar em carro de bois
Açoga – Tira de couro que prende o jugo ao pinalho
Afoutar - Gritar
Aguilhada – Pau para domar animais
Aguilhada - Vara para guiar animais
Agulheta - Caruma de pinheiro
Alacraio - Escorpião
Alanzoar- dizer coisas à toa
Alcatruz - balde para tirar água da nora
Alustrar - Relampejar
Amadurar - Amadurecer
Amanhar -
Ameroso...macio, liso
Amover - Abortar animais
Arganel - Argola que se coloca no focinho dos porcos
Apaparica - Mimar
Arranjar
Arrebunhar...arranhar
Arrecadar - Arrumar
Arrecaxada - De pernas abertas
Arreigar...arrancar pela raiz
Arrefuxir – Puxar as mangas para trás
Arreganhado - Aberto,Escancarado
Arrendo.-.arrendamento
Arrepelar - Puxar os cabelos
Arriba - Puxar para cima
Arroxo – Pau torto para esticar cordas, Punição
Aspado - Cheio de pressa
Avaloar - Avaliar
Aviaca – Aiveca, mulher desengonçada
Azagal – Ajudante de pastor

Azeiteira - Almotolia
Baixo - Armazém no piso térreo da casa
Balancim - Artefacto para lavrar com animal isolado
Balho – Gordura da barriga
Baraça – Cordel para fazer andar o pião
Baraço - Cordel
Benairo - Grande porção
Bilharda- jogo com um pau
Barleiro – Cesto de vime
Bebes - Cu
Berrão - Barrasco
Bilhó – Castanha assada, descascada.
Biqueiro - Pessoa esquisita quanto à comida
Blouro - Preguiçoso
Bondar - Chegar, bastar
Bota – Anda, vem, atira
Brochas – Metal para protecção dos socos
Bucheira – linguiça de carnes menos nobres
Burgatas - Frutos pequenos
Cabaça - Abóbora
Cabaçote – Pequena abóbora
Cabanal- espaço coberto para guardar lenha e alfaias agrícolas
Cachouço - Brincadeira
Cácimo - Planta de cujas bagas se retira um veneno
Cainso - Cio
Caldo - Sopa
Canca - Idoso
Cancela - Porta em grade feita de madeira
Cancelas – Vedação para os rebanhos
Canear - Dormitar
Canelha- caminho estreito
Cangaço - Uvas depois de esmagadas
Cangalhas - Óculos
Canhoto – Pau grosso
Caniço – Rede para secar castanhas na cozinha
Capão - Molho de vides
Carabunha - Graínha, caroço pequeno
Carambina – Gelo formado pela geada
Carambelo – Frio extremo
Cardiela –Cogumelo amarelo, bebedeira
Carolo - Pedaço de pão
Carpins - Meias de lã
Carrachola - Cavalitas
Carranha – Macacos do nariz
Carramouço – Monte de coisas
Carrichas (às) - às costas (usa-se, levar às carrichas)
Cascabulho - Monte de cascas
Castanheirol - Batateiro
Ceitoura - Foice
Cerdeira - Cerejeira
Cerrar - Fechar
Chamorro – Doença de coelho
Chanato - Calçado velho
Chiasco - Vento frio
Chisquete - Pedaço pequenino de carne sorçada
Coberta - Colcha
Cobrante – Doença de ossos
Côdeo – Pedaço de pão
Cortelhas - Entre pernas
Chabelão - Cavilha usado no pinalho dos carros de bois
Chaboto - Cigano
Chedas-
Chedeiro –
Choquelateira - Cafeteira
Chouriça de verde – Chouriça de sangue
Chuclear...agitar
Chupa - Chaminé
Cibinho - Bocadinho
Cisqueira - Diarreia
Cito-cita – Fiscal camarário de obras
Colmo - Telhado de palha
Concharra - Colher de lançar a sopa
Conchouço - Loja
Cornizó - Fungo do centeio, diz-se que usado para fabicar armamento
coroa...cimo, o ponto mais alto
Couracha - Pele de porco
Crencho - Contente
Crocha - Primeiro pedaço do pão
Crossa - Capa de palha
Cueiro - Fralda
De cacaranhas - De cócoras
Derindaina - Sova
Derrega – Rego para escorrer água de terrenos
Desandadela...repreensão
Enforretado - Sujo de fuligem
Embarrar - Tocar, raspar
Embelga - Delimitação de terreno em corredores para a sementeira
Embloutar...sujar, enlamear
Embude – Funil muito grande
Emonar-se - amuar
Embuzilar - Comer de forma desmesurada
Encartar - Dobrar
Enchouriçar- encher alheiras e chouriços
Engaço - Ancinho
Engaranhado - Com frio
Engatinhar- começar a andar
Engrunhar - Encolher
Erbanço – Grão-de-bico
Esbarar - Escorregar
Esborralhar- demolir
Escanar – Dormir, Desfolhar milho
Escaravanar - Saraivar, Chover granizo
Esfoura - Diarreia
Esmoucar - Partir a cabeça
Espalhadoura - Instrumento para espalhar estrume
Espanzurrada - Relaxada
Esparger - Espalhar
Espoldrar- podar
Estadulhos – paus de madeira para estabilizarem a carga
Estardalho – Pessoa sem nexo
Estrafogueiro – Objecto para pousar lenha na lareira
Esturgido - refogado
Famelga - Familia
Farinhota - Doença da vinha
Feiloa - Gás intestinal
Ferreiras – jogo à procura das pessoas
Filharasco - Enteado
Fingir – Dividir a massa em pão para cozer no forno
Finta - Contribuição
Fuga – Vigas horizontais onde assentam os lareiros do fumeiro
Fulcro - Media do polegar ao indicador
Futurar - Supor
Gabarrista - Gabarola
Gabela - Conjunto de objectos que se agarram e transpotam com os braços
Gadanha - Foice grande, pessoa qeu apanha tudo o que vê
Galela - Vinvima de restos da vindima principal
Galelo - Pedaço de uva
Galheiro – Pau para sustentar vegetais na horta
Gamechâme - Vinho de fraca qualidade
Gamela - Pia dos porcos
Garabano – Utensílio para tirar água do poço
Garavelho – Fecho de porta em madeira
Gemelgo- gémeo
Giga – Cesto de vime largo
Gramalheira- corrente de ferro que suporta a caldeira sobre o lume
Grandura - Tamanho
Grolo - Que não chegou ao fim da gestação
Guedelhudo – Que tem o cabelo comprido
Guiar - Compor, consertar
Guisote – Depreciativo de guisado
Herdança - Herança
Impontar- mandar embora
Interpicar - Implicar
Laços - Corda comprida
Ladrais – tábuas que ladeiam os estadulhos
Lambão – Pessoa desleixada, mandicante
Latada - Ramada
Lareiro – Varas onde se pendura o fumeiro, pau de varrer o forno
Laronas - Alheiras azedas
Larouga – Cerejas verdes
Lazarado - Cheio de fome
Leiranco – rato grande
Letria - Aletria
Listo - Esperto, vivaço
Livreta - Agenda
Loa – Conversa fiada
Lumiacos - Tufos verdes criados em água estagnada
Quilé - Coisa pouca. Mais usado na negativa "Nem quilé - Rigorosamente nada"
Malata – Geada
Mamão - Rebento inútil
Mandicante - Fulano
Manhuça- Feixe de coisas que se podem abranger com a mão
Maquia...porção de farinha ou grão que os moleiros recebem pelo trabalho
Marafolho - Ramo de cerejas
Marafona - Mulher mal vestida
Mercar- comprar
Merujar - Chuviscar
Mijacão –Todos os cogumelos não comestíveis
Mocanca – Produtos vários
Mochana - Faúlha
Moinante – Bom vivant
Molida – Artefacto para o pescoço dos animais
Môcas - Ranho
Moreia – Grande monte de molhos de palha na eira
Morneiro – Monte de molhos de palha
Mulo, estar de - De trombas, amuado
Munifates - Gestos idiotas
Niscaros - cogumelos
Palaio -Chouriço de pão
Palhada...vagens secas dos feijões
Palhitos - Fósforos
Parabena - Ventania
Parada – Local de cobrição de animais
Pardieiro - Casebre
Parreco - Pato
Passota - Sêca, encarquilhada
Peldrecha – Pele da barriga do porco
Pernóstico - Vaidoso
Pitar - cortar lenha
Pinalho – extremidade do carro
Pincha Carneira - Cambalhota
Pita - Galinha
Pocho - Cachorro
Pondão – Pessoa lenta
Portelo – Entrada de propriedade
Pote- panela de ferro, com três pés, para cozinhar no lume e alambique de fazer aguardente
Poula – Terreno árido
Rabanada - ...de vento. Rajada de vento
Rabeira - Restos de centeio depois de peneirado
Racha- cavaco de lenha
Ranheira - Coceira
Responso - Reza
Rigueiro- ribeiro
Rijar - Fritar
Rilhar - Comer roendo
Roca – Roco, Frade
Roda – Conjunto de molhos de malha em espiral
Rodilha – Pano de cozinha
Rodilheira – Pessoa que cria mal estar
Saborreiro – Neblina quente de verão, pão mal cozido
Saçamelo- pronuncia mal certas palavras
Saltão- gafanhoto
Segar - Ceifar
Serranço - Fundo das costas
Sibo - Pedaço
Sinceno - Nevoeiro
Sombreiro –Guarda-chuva
Sorça – Vinha d’alhos
Tãlha – Recipiente de barro
Tantinho - Um pedacinho
Tarandeira = utensílio para por o pão
Tártaro – Insecticida para frutos
Tartaranho - Milhafre
Tascos - Resíduo de linho
Tempre – Tripé para fritar
Termino- juízo, tino
Termoncela – Artefacto para lavrar
Tesão - Ferramenta para fechar a boca dos tonéis
Tiés -Membrana
Timoeiro -
Tissão - Brasa grande
Tomba-louceiros - Desajeitado
Toutiço - Inchaço
Tralhar- coagular, solidificar
Trocha-Mocha - À maluca
Trocho – Estrutura grossa da couve
Upado - Inchado
Verdasca – Vara fina e verde
Vergalheira – Parte do porco
Xamorro – Doença de coelhos
Xiba - Cabra
Xoino - Amante
Xotar - Enxotar
Zarcão – Pessoa muito feia
Zerbada - Chuvada forte
Zorra – Pião grande