sexta-feira, 2 de maio de 2014

À mãe



Graça entrou com um saco na mão, pousando-o ao lado do pai, abraçou-o longamente depositando-lhe um beijo na face.
Sem palavras, porque são estas que tantas vezes, estorvando, nos tolhem o exteriorizar de sentimentos, dirigiu-se à ainda estática Augusta.
Sentou-se no seu colo, verteu a saudade em suspiros, deixou-se trespassar pela emoção e rodeando-lhe o pescoço com os braços, exclamou:

- Mãe, como tive saudades tuas!

3 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

e quantos ainda não podem abraçar a mãe....

:(

EU disse...

"Sentou-se no seu colo, verteu a saudade em suspiros, deixou-se trespassar pela emoção e rodeando-lhe o pescoço com os braços, exclamou: "

Belo!
Um bjo :)

Zilani Célia disse...

OI ARMANDO!
RESOLVI COMENTAR AQUI, PELA HOMENAGEM ÀS MÃES, QUE SEMPRE EMOCIONAM.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/