sábado, 30 de novembro de 2013

Os advogados têm uma bastonária transmontana


As mulheres transmontanas estão em grande. Depois de Assunção Esteves ter chegado à Presidência da Assembleia da República, é a vez de Elina Fraga ser eleita como a nova Bastonária da Ordem dos Advogados. Uma boa notícia para Trás-os-Montes. 
Votos de sucesso na sua nova missão e que na sua bandeira estejam sempre presentes os valores e sentimentos transmontanos.

Elina Fraga, de 43 anos, foi eleita nova bastonária da Ordem dos Advogados para o triénio 2014-2016, sendo a segunda mulher a ocupar o cargo que estava nas mãos de Marinho e Pinto.
A actual vice-presidente do conselho geral da Ordem dos Advogados, de acordo com os resultados provisórios, contou com 6175 votos de um total de 20.199, o que corresponde a 31%. Na corrida eleitoral existiam seis listas, sendo que a que ficou mais próxima da de Elina Fraga foi a encabeçada por Vasco Marques Correia, que conseguiu 3446 votos, ou seja, 17%

Fonte: Público

5 comentários:

trepadeira disse...

Espero seja bem diferente da assunção.
Espero ainda tenha força para tornar a ordem de todos e não só dos grandes gabinetes, ligados ao poder e fonte de graves disfunções profissionais, para bem da ordem e de Portugal.

De troca de favores e interesses já basta.

Abraço,

mário

zeca soares disse...

Armando, concordo para distinguir mulheres da nossa região, que tenham sucesso quanto mais neste domínio da justiça, área anteriormente reservada aos homens, em nome da paridade,
melhores cumprimentos respectivamente a Elina Fraga, e a Assunção Esteves no sector da política...

Mário tens razão, agora com elas conseguir um mundo mais justo, será outro assunto, esperamos que não fiquem presas do sistema ?

Saudação MRP

Alda Luisa Pinheiro disse...

Concordo com o Mário (trepadeira) e queria acreditar, mas, sucessora de Marinho Pinto, principalmente, nos seus "ideiais"...faz-me lembrar a a sucessação de Maduro a Chavéz...enfim, mais do mesmo! (mas eu sou suspeita...)

zeca soares disse...

Pelos vistos, a questão é mais a profissão destas pessoas, que conhecer as suas origens...
bem nesse caso vocês devem saber mais que eu sobre os perfis e o exercício da função ?

Assim sem querer julgar a Ordem dos Advogados e muito menos essas pessoas que não conheço,
entendo que o vosso sistema sofre do mesmo mal que a autoridade judiciária Francêsa,
a saber que não é considerada como um verdadeiro poder independente da política.

O problema da justiça é o mesmo em todos os países, por vezes injusta porque influenciada,
a menos de mudar a natureza humana, parece-me difícil alterar o sistema !

Saudação MRP

zeca soares disse...

Pelos vistos, a questão é mais a profissão destas pessoas, que conhecer as suas origens...
bem nesse caso vocês devem saber mais que eu sobre os perfis e o exercício da função ?

Assim sem querer julgar a Ordem dos Advogados e muito menos essas pessoas que não conheço,
entendo que o vosso sistema sofre do mesmo mal que a autoridade judiciária Francêsa,
a saber que não é considerada como um verdadeiro poder independente da política.

O problema da justiça é o mesmo em todos os países, por vezes injusta porque influenciada,
a menos de mudar a natureza humana, parece-me difícil alterar o sistema !

Saudação MRP