domingo, 21 de outubro de 2012

Persistente


Um burro, dos que persistem em existir, que ainda não se refugiaram na Assembleia da República e, também por isso, dos que ainda são úteis. Muitos houve em Trás-os-Montes e em Pedome também, mas estes, os de quatro patas, tendem a desaparecer.

2 comentários:

trepadeira disse...

Quando começarem a faltar as pernas será um amigo destes que me levará pelo campo.

Um abraço,
mário

LUZ disse...

Olá Armando,

Curiosas e inteligentes metáforas.
Adoro burros, de quatro patas, evidentemente.

Pedome tinha muitos. Que ternura!
No Alentejo, também havia muitos e o meu avô tinha alguns.

Obrigada pelo seu brilhante e inteligente comentário.
Discreto, mas certeiro.

Boa semana.
Beijo da Luz.