quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Comida para um dia de nevada






Para terminar os manjares de inverno, até porque a quaresma já vai quase a meio e o colesterol elevado, fica aqui uma referência ao prato de um dia de nevada por excelência, o cozido com palhada, cascas ou casulos, que embora não sejam a mesma coisa, são muito parecidos.
Quem alguma vez comeu um cozido com carnes e fumeiro tradicional, sem aditivos artificiais, jamais terá coragem de pedir um cozido num restaurante.
Findo os prato de inverno. Com o verão, virão o ensopado de cabaçote e o caldo de cornipos e aí sim, candidataremos os quatro a património gastronómico da humanidade.

4 comentários:

trepadeira disse...

É qualquer coisa de extraordinário,uma delícia.
Só as aldeias têm estes encantos.
Pena que a ignorância,e malvadez,do poder queira acabar com elas.
Ainda hão-de comer o dinheiro que tanto defendem.

Abraço,

mário

Vitor Loureiro disse...

Se marchava, marchava marchava.
Muito bom num dia como o de ontem.
Digno de um valpacense.
Saudações

Alda Luisa Pinheiro disse...

Nunca provei tal cozido por isso continua a "pecar" e a pedir cozido nos restaurantes!
Já o caldo de cornipos...lembro-me bem que gostava muito!

zeca soares disse...

Realemente nao existe melhor idea que o Manjar para reunir o MRP !!!
« O porco » um dos elementos mais unificador da cultura Pedomense,
porque nao so « tudo é bom no cochon » como é habito de dizer
mas principalemente permetiu a sobrevivência dos nossos antepassados sem os quais nao estariamos aqui…
Sim senhor Armando, atraves estas especialidades culinarias,
nos Pedomenses, homenageamos hoje o PORCO como bem da humanidade…
Digo isto com humor… mas com um certo fundo de verdade !
Saudaçao ao MRP