sábado, 5 de janeiro de 2013

Tempo de fumeiro


É certo que há várias pessoas que não gostam da matança do porco. Um acontecimento bárbaro, argumentam, coitado do bicho que a ninguém fez mal.
Outros, muitos, acham o acontecimento e tudo o que o rodeia, uma experiência única e um ponto gastronómico de referência.
À parte estes considerandos, dos quais não tomo partido, reconheço que o fumeiro é muito mais consensual. Até hoje, nunca a ninguém ouvi dizer que não gostava.
Pois aí está ele, em avanço de estação.

7 comentários:

trepadeira disse...

Tem bom aspecto.
Aquele paloio deve estar um pitéu.

Um abraço,
mário

LUZ disse...

Olá, Armando!

Nunca assisti à matança do porco, mas não deve ser agradável para o animal, penso eu.
Tamém nunca vi matar uma galinha ou galo.
Eu não gosto de carne e porco e derivados. Já ouviu dizer, a uma pessoa, que não gostava do repasto.

Feliz resto de Domingo.

Abraço da Luz.

Anónimo disse...

Eu não gosto,criei uma e chorei no dia da matança. Para os outros foi realmente uma festa. O facto é que dá muito trabalho os enchidos......

São Amaral disse...

O fumeiro é o melhor da matança, para alguns é verdadeiro festim.
Eu não gosto das matanças. De pequena metia a cabeça debaixo dos cobertores, mais tarde criei uma e chorei no dia da matança.

Anónimo disse...

Na minha terra chamam-lhe palaio. Boa pinta.

anas disse...

Isto é a bexiga, mas melhor que isso é o bucho. É uma das sete maravilhas da gastronomia de chaves e arredores. É de comer e chorar por mais.

Mário J. disse...

O palaio ou bucho é bom mas é se for bem recheado com costelas e xisquetes, com massa das alheiras e dos chouriços azedos, não aprecio. Um abraço