sexta-feira, 29 de janeiro de 2010


Aqui fica uma das iguarias da cozinha tradicional de Pedome. Que nojo, dirão alguns, menos habituados a estes manjares pouco habituais, especialmente em locais inóspitos como cidades e seus subúrbios. Que maravilha confirmarão outros ou então, há quanto tempo eu não como disto, surgindo de imediato água na boca. Haja colesterol que resista. E bem regado, claro está.

6 comentários:

Mário J. disse...

Pela aparência parece-me ser o famoso bucho ou bucha, realmente há uns tempos que não degusto essa iguaria, é um verdadeiro petisco para quem gosta, até cresce água na boca, então comido em Pedome dá-lhe outro sabor.
Um abraço

anas disse...

Olá primo estás convidado para esse petisco.Pois no carnaval a dose será repetida.

Sabiel disse...

Que pena eu não estar presente. Nem acredito que o vou perder. Por acaso não poderia ficar um bocadinho congelado, para mais tarde? Fica a sugestão.

smvasconcelos disse...

Minham!! Até na cidade se preservam memórias do norte...a gastronomia lidera esse rol.
beijos,

Graça Gomes disse...

O Padre Daniel, falando acerca do porco e seus derivados, dizia:
Da ponta do rabo até ao focinho é tudo bom.
Mas, de todos os manjares associados ao porco, este é sem sombra de dúvida dos melhores. E quando é feito por mãos sábias, experientes, torna-se um manjar dos deuses...
A vossa mãe fazia-o como ninguém!

gringo disse...

que horror!!!!!!!!!!!!!!