quinta-feira, 29 de outubro de 2009

À falta de níscarros, que este ano andam arredios, pudera com o calor que está, fica este belíssimo fuso que tinha um sabor que nem vos digo. Mudam-se os tempos, adaptam-se as vontades.

3 comentários:

Bomboka disse...

Um fuso???Isto come-se???? Coisas fantásticas, que eu ainda descubro! Não sobrou nenhum para provar?

smvasconcelos disse...

Pergunta de citadina: que é isso?? Esse fuso é um cogumelo? Lembro-me dos Míscaros, cheguei a ir apanhá-los lá para os lados do Marão, mas não é a mesma coisa pois não?
Esclarece-me lá que eu gosto de saber. :))
beijos,

Armando Sena disse...

Esta malta da cidade, ai, ai...
Um fuso é o primeiro patamar de uma roca, que no fim da maturidade evolui para frade. Pois é, e são todos eles deliciosos. Tonitos citadinos, sabem: não se pode ter/saber tudo. Algumas coisas só mesmo os campónios. Sobraram alguns, repoem-se, é outra das maravilhas da natureza. Estão convidados e podem acompanhar com castanhas e jeropiga.